Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Atendimento on-line ou presencial na região da Av Paulista. Rua Bela Cintra, 968. - (11) 3262-0621 - Agendamento pelo WhatsApp (11) 99787-4512

Tratamentos psicológicos para tratar a procrastinação

A vida estudantil e suas demandas sobre a rotina, afetos e cognição das pessoas costuma ser o foco de pesquisas sobre a procrastinação. Adiamento, evitação, medo e insegurança são alguns dos comportamentos e sentimentos ligados à procrastinação. Tratar a procrastinação pode ser complexo, já que ela se relaciona com tantas de nossas dimensões. Mas há algumas opções de tratamento disponíveis que veremos a seguir.

O comportamento procrastinatório é considerado relativamente difícil de ser modificado porque fornece um conforto temporário em um mundo que pode ser visto ameaçador por conta de demandas e deveres alheios a nossa vontade e que nos são impostos socialmente.

A procrastinação é utilizada, geralmente, como estratégia de enfrentamento diante de tarefas aversivas.

A pessoa pode se sentir insegura com a própria capacidade de fazer as coisas corretamente, ou pode atrasar tarefas porque não querem ter de realizá-las; há ainda aquelas pessoas que procrastinam porque não são organizadas e simplesmente não sabem por onde começar.

Além disso, a procrastinação pode ter relação com estilos parentais rígidos e controladores na medida em que expectativas elevadas e críticas dos pais têm sido associadas, na literatura, a uma forma de perfeccionismo que está positivamente associada à procrastinação.

A procrastinação também pode ser sintoma de depressão ou outros transtorno psicológicos que precisam de atenção especializada.

 

Procrastinação como vencer 

Psicoterapia psicodinâmica e terapia cognitiva comportamental são duas das vertentes da psicologia mais utilizadas para vencer a procrastinação.

Ambas oferecem resultados positivos e são recomendadas através de profissionais qualificados como os(as) que você encontra em nossa clínica.

A psicoterapia psicodinâmica é fundamentada na mecânica e organização interna da psique humana, sendo a psicanálise seu exemplo mais conhecido. Mas também temos a logoterapia, a gestalt-terapia, a abordagem Junguiana entre outras que vão trabalhar as questões individuais através do vínculo entre terapeuta e paciente no ambiente seguro da clínica com a possibilidade de tarefas fora das paredes do consultório.

A terapia cognitiva comportamental visa a adaptação pessoal ao ambiente enquanto se mantém o equilíbrio individual promovendo bem estar. Cognição e comportamento são analisados para promover maior estabilidade.

Dado que a terapia cognitiva comportamental é a abordagem com mais referências na literatura especializada e tem tido resultados promissores vamos focar nesta linha e suas diferentes técnicas.

 

Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) para procrastinação

Muitas pesquisas têm sido realizadas acerca da procrastinação e sua possível terapêutica, em especial baseadas na terapia cognitiva comportamental (TCC).

A TCC trabalha para modificar crenças, pensamentos e comportamentos mal adaptados para outros que promovam maior adaptação e bem estar.

Alguns estudos apresentaram evidências eficácia limitada da TCC tradicional para o tratamento da procrastinação, já que esta prioriza o papel das crenças negativas sobre si mesmo na manutenção da procrastinação, dando, assim, menor ênfase às crenças que podem afetar e controlar o processamento cognitivo de procrastinadores (as metacognições).

Porém, outras abordagens dentro da própria TCC vêm alcançando sucesso no tratamento da procrastinação.

Alguns pesquisadores se debruçaram sobre a importância da auto conscientização sobre o papel da procrastinação, outros focaram o papel de crenças metacognitivas (informações que as pessoas mantêm sobre suas cognições e sobre as estratégias de enfrentamento para lidar com elas) na manutenção de crenças positivas ou negativas acerca da procrastinação enquanto outros autores estudaram a preocupação e o perfeccionismo como preditores de procrastinação.

 

Autoconsciência

Uma das abordagens visa a promoção da consciência sobre si, englobando a procrastinação, e de substituí-la por engajamento na tarefa por meio da identificação e da modificação de crenças procrastinatórias irracionais e, principalmente, de tolerar o desconforto de curto prazo a fim de obter ganhos de longo prazo.

Neste trabalho pode ir se introduzindo pequenas experiências com as tarefas que normalmente ativam a procrastinação em consultório e fora dele.

 

Coaching

Uma das opções terapêuticas que utiliza a TCC é a perspectiva do coaching, treinamento para desenvolvimento profissional, sendo muitas vezes considerado mais inovador, haja vista a grande vinculação entre procrastinação e questões acadêmicas, em especial às dificuldades de jovens em se adaptar aos deveres do ambiente universitário, e outros domínios da vida adulta.

 

Procrastinação e autosabotagem

As investigações sobre crenças metacognitivas (informações que mantemos sobre nossas cognições, percepções e pensamentos, e sobre as estratégias de enfrentamento para lidar com elas), descobriram que metacognições positivas ("adiar tarefas permite fazê-las depois com mais criatividade") e negativas ("adiar tarefas produz sentimentos ruins o tempo todo") estão relacionadas à procrastinação e têm como meta regular cognições e afetos negativos.

Tais crenças influenciam a manutenção da procrastinação e podem ser trabalhadas para agirem a favor da pessoa que sofre para realizar tarefas nos seu dia a dia. A modificação de crenças mal adaptadas pode ser alcançada através de um trabalho de conscientização e desafio de tais crenças, materializadas em experiências concretas que envolvem as tarefas consideradas aversivas.

 

Perfeccionismo como gatilho para procrastinação

A procrastinação e o perfeccionismo relacionam-se a quanto uma pessoa se preocupa (independentemente de como ela se sente, ansiosa ou deprimida, sobre a sua preocupação). Logo, a preocupação da perfeccionista sobre erros e dúvidas pode ser responsável pela procrastinação.

Além disso, a preocupação com a realização da tarefa pode se relacionar com expectativas e críticas dos pais, corroborando descobertas da literatura mais ampla sobre a procrastinação.

Na TCC alguns pesquisadores também interessaram pelo papel da metacognição (campo de estudos relacionado à consciência e ao automonitoramento do ato cognitivo), que contribui para a procrastinação independentemente das emoções negativas (ansiedade e depressão).

Dentre as metacognições pesquisadas, cabe destacar crenças sobre confiança cognitiva e crenças positivas sobre preocupação: quanto mais uma pessoa confia nas próprias cognições e se preocupa com uma decisão, considerando que a preocupação ajuda a enfrentar dificuldades, mais ela tende a procrastinar.

 

Atenção plena (mindfulness)

Outra abordagem terapêutica da TCC é proposta a partir do estudo das associações entre procrastinação, atenção plena (mindfulness) e bem-estar.

Baseados em estudos correlacionais recentes, que apontam que pouca atenção plena pode ser um fator de risco para baixo bem-estar físico e emocional para procrastinadores, alguns autores propõem que abordagens que incidem sobre a aceitação de estados e pensamentos desagradáveis podem ser benéficas para reduzir o estresse relacionado à procrastinação.

A TCC baseada em atenção plena (mindfulness) em particular é conhecida por promover uma maior consciência dos pensamentos e dos sentimentos difíceis, reduzir o estresse, aumentar a persistência em tarefas e melhorar a saúde.

 

Terapia do esquema

Outras abordagens em TCC também podem ser úteis tanto para auxiliar a formulação do caso como para o tratamento em si dos procrastinadores, como a terapia do esquema, proposta por Jeffrey Young..

Inicialmente é preciso entender qual esquema desadaptativo está associado à procrastinação para ajudar a visualizar os funcionamentos cognitivo, emocional e comportamental da pessoa.

Em seguida, o tratamento baseado em esquemas pode ser útil por agregar técnicas experienciais e interpessoais às cognitivo-comportamentais, enfatizando uma confrontação mais ativa de padrões rígidos de funcionamento.

 

Conclusão

A psicologia oferece inúmeros recursos para que você lidar com a procrastinação e seus efeitos no cotidiano. Adiar tarefas e/ou viver inseguro(a) sobre si enquanto parte de uma sociedade complexa pode ser muito limitador. A procrastinação tem tratamento e sem ela seu horizonte se amplia. Entre em contato conosco e comece já a viver mais plenamente.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

Referência

BRITO, Fernanda de Souza; BAKOS, Daniela Di Giorgio Schneider. Procrastinação e terapia cognitivo-comportamental: uma revisão integrativa. Rev. bras.ter. cogn., Rio de Janeiro , v. 9,n. 1,p. 34-41,jun. 2013 .

 

psi2

Escolha Aqui seu Psicólogo - Quanto Custa a Psicoterapia? - Informações Gerais
Consulta com Psicólogo - Agende Aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade Paulista

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)