Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Relacionamento mãe e filha

Psicologo para tratar relacionamento mae filhaEntrevista para o Jornal Metro sobre Relacionamento mãe e filha

As filhas espelham-se em suas mães?

Muitas meninas têm em suas mães modelos?

Eu considero ter a mãe como modelo um comportamento totalmente saudável e demonstra que há bom vínculo entre mãe e filha. Vejo que um modo eficaz de aprendizado seria cópia de comportamentos. Acho interessante que as mães saibam que quando querem que suas filhas façam algo elas podem fazer primeiro – costuma ser uma forma mais eficiente do que mandar que faça alguma coisa.

Como estimular a filha a exercer sua autenticidade?

Não há receita pronta, talvez ensinar o gosto pelo risco ou, demonstrar à filha que treinamos algum estilo pessoal repetindo o que viu na mãe mas que só percebemos o que realmente cabe em nossa personalidade quando experimentamos coisas novas e aí decidimos o que tem a ver conosco.

Desde qual idade na qual a mãe deve estimular que a filha desenvolva sua própria personalidade?

Não acredito que haja uma idade para iniciar, talvez desde sempre. Respeitando o ritmo dela, percebendo quando ela demonstra algum interesse para incentivar que explore estas novidades. Permitindo que se relacione saudavelmente com outras pessoas e as use como referencia também. Não sendo possessiva nem controladora.

Há filhas que fazem o oposto da mãe em tudo?

Os filhos costumam ter seus pais como referencia seja para fazer igual ou o oposto. Quando se opõem talvez estejam demonstrando que não aprovam algo nesta mãe. Pode estar desaprovando algo diretamente relacionado ao comportamento ao qual se opõe ou pode estar reprovando outra atitude, aparentemente sem relação, mas encontrou esta forma de se expressar. Pode ser um jeito de dizer “não gosto de algumas coisas em você e quero que preste atenção em mim, pois tenho muito a dizer só não estou conseguindo fazer de forma direta”.

Quando a menina tem como modelo alguém que a mãe não gosta?

Não há resposta pronta que se encaixe em todas as famílias. Talvez a mãe deva ser mais forte que esta pessoa quanto a passar informações e valores. As crianças costumam se interessar por modelos que tenham uma mensagem emocionalmente forte, o problema é que às vezes esta mensagem é negativa.

Em casos mais difíceis um psicólogo pode ajudar através da orientação de pais.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

Relacionamento mae e filhaEntrevista cedida para Folha Universal

Relacionamento mãe e filha

Importância de mãe e filha terem uma boa relação

Acredito que o papel da mãe é, além de cuidar da saúde e alimentação, transmitir informações que nortearão os comportamentos dos filhos para o resto da vida. Nestas informações estarão incluídos os valores da mãe que poderão ser aceitos ou não pelos filhos. Quanto melhor for a relação da mãe com seus filhos mais eles absorverão as informações passadas pela mãe e terão a mãe como referência.

Quando a relação é com filhas (mulheres) a figura materna costuma ser mais forte e, seu papel de modelo a ser seguido é mais marcante. Tudo o que a filha admirar em sua mãe poderá ser copiado e tudo o que ela rejeitar poderá ser evitado. Por isso a mãe deve ter muito cuidado em manter uma ótima comunicação com a filha de forma a transmitir exatamente a mensagem que deseja pois a filha pode não captar o que a mãe tem em mente e distorcer o conteúdo das informações passadas pela mãe e assim seu comportamento também será diferente da mensagem que a mãe gostaria de passar.

O relacionamento costuma oscilar

Muitas vezes a filha representa para mãe uma “segunda chance” de realizar coisas que não foram possíveis quando jovem e assim podem surgir expectativas irreais nesta mãe em relação ao que esperar de suas filhas em determinadas épocas da vida.

Outras vezes são as filhas que precisam sentir mais autonomia e tentam se desvencilhar dos cuidados das mães – coisa que pode “enlouquecer” uma mãe que não considera sua filha pronta para desbravar o mundo sozinha.

A fase que costuma surgir mais atrito é na adolescência pois a filha começa a compreender que tem algum direito de fazer as coisas de seu jeito, mas muitas vezes a mãe não concorda com esta visão da filha.

Mulheres gostam de dividir sentimentos e experiências e acabam falando demais

Muitas vezes pode ser um problema. Pois mãe é mãe, não é amiguinha. Grandes problemas podem surgir quando a mãe considera que a filha seja sua confidente, ou pior, quando acha que a filha poderá ser a confidente da mãe. A filha terá muitas amigas em sua vida e são elas que deverão cumprir este papel. A mãe deve ser uma figura a qual a filha pode contar com o apoio para toda a vida, que lutará para que coisas boas lhe aconteçam, mas que não concordará com todas as ideias da filha, pois este é o papel de mãe.

Piores erros cometidos por mães e filhas em suas conversas

Não há uma resposta definitiva, talvez seja um erro da filha seria considerar que sua mãe é uma supermulher que nunca erra e que será sempre completa e perfeita. Aceitar a mãe como uma pessoa que deve ser ouvida mas também questionada quando houver informações que não parecem corretas ou ideais para o momento.

Um erro da mãe poderia ser acreditar que sua filha é 100% um “produto” seu. A filha nem é propriedade e nem resultado total de tudo o que a mãe ofereceu em educação. A filha tem sua própria personalidade.

psi2

Escolha aqui seu Psicólogo - Quanto custa a psicoterapia? - Informações gerais
Consulta com psicólogo - Agende aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP