Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Comportamento agressivo

Acredito que seria um passo interessante perceber, por si mesmo, que seu comportamento está causando prejuízos e que precisa de ajuda, pois muitas vezes pode demorar, talvez até perder algo importante como um relacionamento, emprego ou objeto de valor para identificar que suas explosões precisam ser tratadas.

É comum que a pessoa que sabe ter tendência a comportamento explosivo tente frear seus impulsos mas, a explosão de raiva costuma vir sem aviso, ou seja, o tempo entre enfurece-se e explodir pode ser muito curto a ponto de não ser possível avaliar as consequências antes de agir.

Psicologo para comportamento agressivoSentimentos envolvidos no comportamento agressivo

Normalmente a pessoa sente uma certa tensão inicial, e após a explosão pode sentir até um certo alivio. A impossibilidade de impedir um impulso agressivo pode trazer frustração e arrependimento piorando o quadro emocional desta pessoa.

É possível que este alivio momentâneo percebido logo após o ato seja o fator de manutenção do comportamento agressivo.

Trata-se de um transtorno mental?

Uma possibilidade diagnóstica para este comportamento poderia ser o Transtorno Explosivo Intermitente, mas para chegar a esta conclusão o profissional deverá descartar outras possibilidades como por exemplo transtorno de personalidade antissocial, transtorno da conduta, uso de substâncias químicas, etc. O diagnóstico de transtorno mental será dado quando o comportamento agressivo não for proposital, não tiver motivação e vantagens, caso contrário poderá ser identificado como um padrão de comportamento disfuncional onde o tratamento deverá ser aplicado de acordo com o que for identificado pelo profissional.

Comportamento agressivo devido uso de substâncias

Quando a pessoa se mostra agressiva comprovadamente devido ao uso, ou abstinência, de substâncias químicas, como drogas ou álcool, o tratamento deve focar principalmente a dependência química destas substâncias pois neste caso o comportamento agressivo seria uma consequência do uso destas substancias e não o problema em si.

Quando os episódios de comportamentos agressivos ocorrem?

O comportamento agressivo pode ser iniciado quando esta pessoa sentir injustiça ou desmerecimento, não perceber outras formas de administrar o descontentamento.

Muitas vezes o comportamento agressivo ocorre em retaliação a atos que possam prejudicar tanto a si mesmo, outras pessoas, animais ou objetos que possa ser considerado de valor maior como por exemplo um bem público sendo depredado, pode instigar comportamento violento por quem assiste tal ato. e não conseguir controlar o impulso de agredir o outro, a si mesmo ou a objetos.

Consequências do comportamento agressivo

As consequências podem variar desde dificuldades no relacionamento com a família ou outras pessoas próximas, dificuldades profissionais podendo chegar até a perda do emprego, problemas escolares como suspensão das aulas ou outras penalidades, e até necessidade de cuidados médicos caso desfira golpes em outras pessoas ou objetos.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

Há vantagens em manter um comportamento agressivo?

Creio que algumas pessoas agressivas podem considerar que obtém vantagens como por exemplo o pronto atendimento de suas requisições, mas seria vantajoso levar uma vida onde imagina-se possível resolver suas necessidades apenas através da imposição de medo à outras pessoas?

Em psicologia o termo agressividade muitas vezes é visto como pro atividade que pode chegar à violência em casos mais extremos. Considero que se torna útil observar o momento de ultrapassagem do limite entre pro atividade sadia e violência gratuita.

E quando o comportamento agressivo foi desferido com justiça?

Esta é uma questão muito delicada, é possível que a pessoa que se comporta agressivamente considere justo por talvez também ter sido lesado, mas será que devemos fazer justiça com as próprias mãos? Será que continuando o círculo de violência chegaremos a algum lugar satisfatório? Muitas vezes a vingança pode ser confundida com justiça e quando estamos envolvidos emocionalmente pode ser mais difícil identificar.

Referencia DSM IV - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais 4º Ed

Marisa de Abreu Alves
Psicóloga
CRP 06/29493


psi2

Escolha aqui seu Psicólogo - Quanto custa a psicoterapia? - Informações gerais
Consulta com psicólogo - Agende aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP