Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Vaginismo

Há casos de vaginismo devido a alguma condição médica como por exemplo infecção vaginal, mas neste texto tratarei do vaginismo de ordem psicológica ou emocional, pois o médico poderá orientar quando se tratar de origem puramente fisiológica ou recomendar o acompanhamento também do psicólogo quando perceber necessidade de avaliar componentes emocionais associados ao vaginismo.

O vaginismo é caracterizado pela contração involuntária dos músculos que pertencem a região genital de forma a impedir ou tornar doloroso a penetração tanto do ato sexual como de exames ginecológicos.

Psicologo para tratar vaginismo

Em algumas mulheres até mesmo a expectativa de penetração pode causar espasmo, e nestes casos pode ficar mais claro o quanto há de envolvimento do aspecto emocional, pois a previsão de penetração trata-se ainda da ideia, do pensamento e consequentemente das emoções associadas ao que imagina-se que virá a seguir. Estes pensamentos podem incluir temores e numa tentativa automática, e muitas vezes inconscientes, de defesa o corpo reage de forma a tentar impedir o que poderia ser algo doloroso emocionalmente para esta mulher.

O psicólogo poderá atuar tanto no sentido de identificar a possibilidade de algum trauma associado a este transtorno como no sentido de buscar meios de reduzir a ansiedade.

É possível que experiências anteriores possam ter marcado esta mulher de forma a rejeitar penetração. Situações vividas onde ela possa ter visto, ouvido, presenciado ou passado pessoalmente por situações podem ter sido fortes o suficientes para que o vaginismo ocorra. O vaginismo é encontrado em mulheres que sofreram abusos ou traumas sexuais.

É possível que a mulher com vaginismo ainda sinta, desejo, prazer e capacidade de orgasmos contato que não haja penetração.

O vaginismo pode limitar relacionamentos sexuais de forma a prejudicar relacionamentos existentes ou impedir desenvolvimento de novos relacionamentos.

Há situações onde o vaginismo ocorre em paralelo a falta de desejo e capacidade de atingir orgasmo. Em outros casos a mulher percebe que a contração vaginal ocorreu de forma diferente conforme houve troca de parceiro sexual. Todas estas situações podem fornecer amplo material para ser analisado em psicoterapia.

Algumas mulheres apresentam o vaginismo durante o ato sexual, mas não durante exames ginecológicos. Nestes casos o psicólogo pode analisar o significado da penetração quando há desejo sexual envolvido em contrapartida da penetração para finalidades médicas.

A psicoterapia pode ser realizada individualmente ou na forma de terapia de casal, conforme o que for avaliado pelo psicólogo que poderia surtir melhor resultado ou que poderia ser mais adequado devido a situação de cada pessoa ou relacionamento.

Referencia DSM IV - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais 4º Ed

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

Marisa de Abreu Alves
Psicóloga
CRP 06/29493


psi2

Escolha aqui seu Psicólogo - Quanto custa a psicoterapia? - Informações gerais
Consulta com psicólogo - Agende aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP