Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Preconceito

Entrevista cedida para o site Disney Babble

Psicologo para tratar preconceitoPreconceito

O que é preconceito

Preconceito é uma falha do pensamento, um erro na suposição e previsão de acontecimentos futuros. Preconceito ocorre quando uma pessoa imagina que já tem informações profundas a respeito de algo ou alguém a partir de uma pequena informação de entrada. Por exemplo: uma pessoa diz que é africana e o outro a imagina negra, pobre o doente - que pode ser um erro pois existem africanos com perfis totalmente diferentes.

O problema do preconceito é que quase sempre a pessoa está errada em sua suposições.

Origem do preconceito

Acredito que a origem do preconceito venha da necessidade que o ser humano tem em saber exatamente como a outra pessoa é. A busca de informações precisas levam as pessoas a arrogâncias preconceituosas. O preconceito existe desde que o homem começou a deduzir e supor o que o outro poderia ser e fazer. Outra forma de ver a origem seria o medo do diferente, medo do desconhecido. Quando nos deparamos com algo não familiar tendemos a admirar ou a repudiar. O preconceito vem da repudia do desconhecido.

O ser humano é um ser preconceituoso por natureza?

A natureza do ser humano é de tentar facilitar o máximo possível tudo em sua vida. E o preconceito parece oferecer uma forma rápida de conhecimento (errôneo). A mídia pode incrementar o preconceito quando passa informações muito determinantes sobre assuntos subjetivos. Por exemplo, não podemos dizer que uma pessoa “é preconceituosa”, isso já é um preconceito, mas podemos dizer que uma pessoa foi preconceituosa em determinado momento sobre aquele determinado assunto. Mas esta forma de colocar as coisas jamais serão manchetes, toda manchete afirma algo de forma categórica (pois é isto que chama atenção) mas corre grande risco de ser preconceituosa.

Baseados nos últimos acontecimentos no País (negros X torcidas de futebol, nordestinos nas eleições, agressões aos homossexuais, haitianos X Ebola, pessoas acima do peso etc), por que o preconceito é tão comum?

O ser humano gosta de “certezas”, e o preconceito oferece uma sensação de certeza (muitas vezes falsa), por exemplo quando alguém diz que todo italiano fala alto ele está sendo claramente preconceituoso mas também demonstra necessidade em saber exatamente como o italiano à sua frente irá se comportar, ele quer ter certeza, quer fazer previsões precisas sem considerar todas as variáveis possíveis como por exemplo haver italianos que se comportam de forma tranquila devido a sua personalidade, característica de família, etc.

Que tipo de consequências negativas uma pessoa que sofre preconceito pode apresentar?

O preconceito pode limitar as possibilidades quanto a relacionamentos de forma geral, sendo assim uma pessoa pode perder oportunidade em se relacionar com outra seja de forma romântica, amizade ou profissional, por conta de preconceitos. Em formas mais intensas o preconceito pode gerar raiva e esta raiva pode destruir a saúde emocional desta pessoa fazendo-a se isolar e acreditar, erroneamente, em sua menos valia diminuindo assim sua auto estima.

E como essa mesma pessoa deve reagir no momento em que sofre o preconceito para minimizar as consequências negativas em si mesmo?

O melhor a se fazer é conhecer o que é preconceito e entender que a pessoa preconceituosa se posicionou, antes de tudo, de forma limitada.

Onde buscar ajuda

Quando a atitude preconceituosa afetar a auto estima a ajuda de um psicólogo pode ser muito útil, pois ele pode colaborar para que esta pessoa fique ciente de suas reais qualidades independente do que outras pessoas possam achar.

Para o agressor: que tipo de consequências negativas ele pode sofrer na vida por ter esse tipo de pensamento/atitude?

Creio que este pode ser o que mais sofre, pois ao permitir que pensamentos limitantes dominem seu modo de pensar ele poderá ter toda uma gama de relacionamentos e oportunidades também limitadas. A raiva que ele sente de pessoas das quais nutre preconceito poderá ser o próprio veneno para sua alma.

Como identificar e combater o preconceito em si mesmo? Às vezes, a pessoa não admite que é preconceituosa, mas vive falando que a fulana é gorda, beltrano é feio etc.

Aprendendo a pensar de forma ampla e considerando sempre todas as possibilidades. Ou seja, não tendo preguiça na hora de entender e conhecer as pessoas e o mundo. Buscar o máximo de informações sobre tudo a fará perceber que nada é tão definitivo, ninguém é uma coisa só o tempo todo. Aprender a considerar o que há de diferente no outro como uma qualidade especial e não como algo a ser desprezado. Muitas vezes o preconceito é uma auto defesa, ou seja é possível que para não se sentir mal com relação a algo que não goste em si mesmo esta pessoa ataque outras, assim ela não foca em seus próprios problemas.

O preconceito acaba sendo um costume social. É possível reverter essa característica na população inteira? Como?

A forma de pensar pode ser um costume social, pode ser revertido mas eu particularmente não acredito que será algo que possa ser erradicado por completo em curto espaço de tempo. É um longo processo.

Dicas para os pais de como garantir por meio da educação que os filhos cresçam mais tolerantes e menos preconceituosos?

A melhor dica é dar o exemplo, os filhos se espelham muito mais no que os pais fazem do que no que os pais dizem. Não sejam preconceituosos e isto ajudará muito para que seus filhos também não sejam. Passem sempre informações positivas sobre todo grupo de pessoas, mostre que todo mundo pode ter seu lado bom e que todos merecem respeito.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

Entrevista cedida para o jornal da faculdade Mackenzie

Preconceito/Racismo

Matéria sobre o caso Arouca jogador do Palmeiras que sofreu com um ato racista

- Como o ato racista é assimilado por quem sofre?

Cada um tem seu nível de resistência à frustração. Pessoas que já tenham tido oportunidade de elaborar outras situações de preconceito e já tenham entendido que o problema do racismo está no preconceituoso e não que ele tenha qualquer característica que merece menos valia, poderá passar por esse tipo de situação com redução no sofrimento.

Mas de forma geral ser vitima de preconceito costuma ser muito doloroso, pois é a rejeição gratuita vinda, na maioria das vezes por desconhecidos que não sabem o valor do caráter de quem está ofendendo.

- Quais são as motivações psicológicas de quem comete o ato racista?

Creio que cada um tem sua fragilidade, o preconceituoso pode ser uma pessoa que precisa sentir-se superior a alguém, talvez em sua formação tenha aprendido que seria importante sentir-se maior as custas de reduzir outras pessoas. Talvez este preconceituoso tenha recebido este exemplo em sua formação e acredite que isto é a forma que deve lidar com pessoas que tenham características diferentes das suas. Talvez seja uma pessoa insegura, ou simplesmente uma pessoa agressiva que nem acredita que pessoas de outras etnias sejam inferiores mas usa esta forma de agressão por saber que ofende bastante. 

Preconceito belezaEntrevista cedida para Revista Atrevida

Preconceito de Beleza

Algumas garotas sofrem preconceito por não se encaixarem nos estereótipos criados pela sociedade. Como lidar com essa situação

Muitas garotas não se encaixam no estereótipo de que toda menina gosta de rosa e de fazer compras com as amigas no shopping.

Isso acontece porque as pessoas se sentem confortáveis em acreditar que existem padrões de comportamento fixos para cada faixa etária ou grupo de pessoas. É possível que um certo numero de garotas adore shopping e usar cor de rosa? Sim. Mas acreditar que este comportamento será igual para qualquer garota reflete um pouco da “preguiça mental” que costumamos ter em olhar as pessoas com todas as diferenças que possuem.

O fato de não se encaixar no estereótipo pode fazer com que a garota não se sinta feminina

É comum que adolescentes sintam grande necessidade em pertencer a algum grupo, esta fase costuma ser de autodescoberta e até chegar ao ponto de identificar o que realmente gosta e fica bem em si o processo passa por imitar e experimentar, errar e descobrir o que realmente tem a ver consigo. Mas algumas garotas não precisam desta fase e já sabem que o que costumam chamar de “feminino” não tem a ver com ela. Talvez ela já saiba que seu estilo não comporta um monte de florzinhas, mas talvez não saiba que isso não tem muito a ver com ser mulher pois todas as outras garotas ainda estão imitando os modelos prontos onde inclui muito rosa, risadas histéricas e compras em shoppings.

Muitas garotas praticam esportes considerados masculinos, como futebol e skate, e sofrem preconceito por isso. Como lidar?

Lendo, observando, colhendo informações para conseguir perceber que errado é quem condena e não quem gosta de esportes. Como eu já disse o preconceito é uma limitação do preconceituoso em perceber que o mundo é muito mais amplo do que seu campo de visão.

Ao não se enquadrarem no estereótipo citado, muitas garotas se sentem diferentes das amigas e ficam desconfortáveis com isso. Como lidar com esse sentimento?

Percebendo que ser diferente também pode ser positivo, que ela, por ser diferente pode ser a que mostra novidades para quem ainda não conseguiu perceber novas possibilidades em como se vestir ou o que fazer no fim de semana.

Como fazer a garota entender/enxergar que ser diferente e única não é ruim?

Mostrando exemplos de pessoas diferentes bem sucedidas, dando informação e possibilitando que ela se expresse com sua criatividade e não copiando os outros.

Caso deseje um trabalho com psicólogo, este ajudará a mudar estes padrões de pensamento ampliando possibilidades de forma a ajudar a pessoa a aceitar-se e desfrutar o que ela tem de melhor.

Da mesma forma, como explicar para as garotas que a maioria das meninas também se sente um pouco “peixe fora d’água” nessa fase da vida e que isso é normal?

Mostrando à ela como conversar com mais garotas de forma a trocarem “figurinhas” possibilitando a participação no universo de outras garotas. Os pais podem incentivar novas amizades com todo tipo de garota, desde as que tem o mesmo gosto que ela como as que são totalmente diferentes, pois esta diversidade ajudará a não ser também preconceituosa com quem gosta de tudo rosa com florzinhas.

Por fim, há mais alguma dica sobre qual a melhor forma da garota lidar com o preconceito dos demais (incluindo os amigos) por não se enquadrar nos estereótipos criados pela sociedade?

Trabalhar a auto estima ajuda demais em não se importar tanto com que o outro gosta e deixa a pessoa mais à vontade para viver de forma espontânea e confortável consigo mesmo.

Sei que muitos querem mudar os preconceituosos, querem que eles deixem de ser assim mas este é um trabalho para quem tem este problema, quem sofre preconceito pode aprender a perceber que não precisa achar que o outro está correto só porque não gosta das mesmas coisas que você.

Melhorar a auto estima ajuda a não se incomodar com o que pensam e fortalece a auto percepção para que a própria pessoa aplique mudanças quando e se considerar que deve, mas baseada em suas conclusões e não na opinião do outro.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

psi2

Escolha aqui seu Psicólogo - Quanto custa a psicoterapia? - Informações gerais
Consulta com psicólogo - Agende aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP