Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Autocontrole

 

...provoca, cutuca nossas feridas de uma forma que muitas vezes nem dá para entender se fez de propósito ou por ingenuidade. São pessoas que fazem pedidos descabidos, simplesmente acham que tem mais direito que os demais.

Talvez seja necessário autocontrole para continuarmos nossa vida sem nos desentendermos com cada uma destas pessoas.

Hoje em dia, para algumas pessoas, a competição pode ficar cada vez mais intensa, talvez tenhamos que assumir cada vez mais riscos para conseguir acompanhar. Podem aparecer muitas de coisas para fazer ao mesmo tempo. Para quem é casado pode existir as exigências do casamento, para quem é pai ou mãe, são os filhos que podem requisitar no momentos onde não se esperava, para quem é solteiro pode se fazer necessário equilibrar trabalho, amigos, as tarefas de casa, família, etc.

Não é difícil imaginar a quantidade de coisas que podem desequilibrar: um colega tipo “sabichão” que consegue te tirar do serio, aquele chefe critico, um supervisor na defensiva, um filho sapeca, uma esposa que não colabora, o amigo que só te liga para falar dele mesmo e nem te pergunta como você está, o parente complicado, enfim, a lista é gigante.

Nestas situações frases que podemos ouvir são: “Meu chefe me deixa louco”. “Meus filhos acabam comigo”. “Eu odeio quando... (preencha como quiser - pode ser um evento, uma tarefa, uma decisão, um prazo, uma crise ou uma incerteza)".

Muita coisa pode abalar: mudança de carreira, um divórcio, um casamento , a compra da sua casa, uma entrevista de emprego, o transito, decisões para tomar, etc.

Não sair do sério?

Imagino se seria possível, ou desejável, não sair do sério. Alguns podem identificar a necessidade de maior autogerência para lidar bem com isso tudo. Alguns desejam conhecer formas de não permitir que os fatos do cotidiano e as pessoas afetem tanto, e assim superar as dificuldades sem sofrer desnecessariamente.

Psicologo pra tratar do autocontroleOnde está o problema?

As pessoas costumam achar que o problema está sempre fora delas, ou seja, se você se irritou, é porque alguém o ofendeu, se você está depressiva é porque o outro te deixou assim. Mas eu prefiro analisar o quanto de responsabilidade cada um teria por seus próprios sentimentos e comportamentos. O que tira do sério são as dificuldades que te aparecem, as pessoas difíceis que você tem na sua vida, seus prazos curtos a cumprir, os sabichões, a irresponsabilidade dos outros? Ou haveria algo interno que também colaboraria? Talvez a forma como você lidamos com essa bagagem toda faça diferença. Te convido a pensar se o que te afeta não seriam as coisas que te acontecem, mas os pensamentos, interpretações e reações que você tem quando cada uma destas coisas te acontecem? Quando ocorre um problema, por exemplo no trânsito, alguém lhe deu uma fechada. A pessoa reage, pode ser que tenha ficado bravo, perseguiu o outro motorista, brigou com ele, etc. Mas antes de você reagir, de se alterar, de responder, algo aconteceu automaticamente: você pode ter percebido, escolhido, analisado, julgado, imaginado. Enfim, tudo isso tem um mesmo nome, que é: você pensou! Mesmo que esse pensamento seja muito rápido e você mal o perceba, você precisou dele para sentir raiva ou o ter a reação que teve, você precisa do pensamento para chegar a algum comportamento. O negocio é que muitas vezes esse pensamento é tão rápido que você não se dá conta dele, ele pode ser automático.

Algumas pessoas podem não se dar conta disso, elas dizem: “Fulano abriu a boca e o sangue me subiu na cabeça”. Aí, parece que o sangue lhe subiu à cabeça pelo que fulano disse, parece que o sangue lhe subiu a cabeça porque fulano lhe disse aquilo. Mas o sangue lhe subiu pelo o que você pensou a respeito do que fulano lhe disse. Você teve que considerar uma ofensa, então essa fúria surgiu por sua causa, por causa de seus conteúdos mentais e não diretamente por causa do outro.

Pensamento Catastrófico

Existem alguns modos de pensar quando algo te acontece. Vou dar um exemplo: O chamado pensamento catastrófico. Isso significa que a pessoa transforma tudo em algo muito mais importante do que realmente é. É fácil de reconhecê-los, porque muitos pensamentos catastróficos começam com a expressão “e se”.

Por exemplo, você está na sala de espera de uma entrevista de emprego e sua cabeça começa: “E se ele perguntar algo que não sei responder. E se não gostarem de mim. E se eu não for interessante?”. Essas perguntas querem dizer que caso alguma dessas coisas aconteça não vai ser só uma preocupação, vai ser uma catástrofe. Entrando na entrevista com isso na cabeça você será derrotado, com muita certeza esses pensamentos vão virar uma profecia que se auto realiza.

Quantas vezes entramos em pânico por coisas que, quando realmente aconteceram, vimos que não eram tão ruins assim? Por exemplo, a pessoa que não abre o resultado do exame pois surgem pensamentos com medo de ter uma doença tão grave que o médico vai lhe dar só alguns dias de vida, mas quando finalmente ele tem coragem e abrir percebe que não tem doença nenhuma, ou aquela pessoa que começa um emprego achando que não vai conseguir aprender as funções, mas dali a alguns dias já está muito bem no serviço.

O Pensamento Absolutista

Os pensamentos absolutistas aparecem quando pensamos em termos de “eu devo”, “eu tenho que”, “eu preciso”, “eu deveria”. “Eu deveria ter dito tal coisa”. “Eu tenho de ser mais organizado”. Todos nós podemos fazer isso algumas vezes. O problema aparece quando exageramos na autocrítica. Pensamos que deveríamos ser mais sérios, mais alegres, mais maduros ou nunca envelhecer.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

O Pensamento de Racionalização

Eu considero que raciocinar é uma coisa, racionalizar é diferente. Raciocinar é entender as coisas como elas são. Racionalizar é negar os sentimentos.

Exemplo: você tem um filho difícil, ele te dá muito trabalho. Dizer que você não está nem aí para ele é racionalizar. Dizer “chega, eu não ligo, se ele quer arruinar a própria vida o problema é dele”, pode não ser verdade. Em outro exemplo de racionalização, a pessoa é tão tímida, com uma dificuldade enorme em se relacionar com pessoas. E o que ela faz? Diz que não está nem aí para os outros, diz que prefere mesmo viver sozinha, comer sozinha, ir ao cinema sozinha, ou nem sai de casa, diz que prefere ficar vendo Faustão do que ir ao clube. 

O Pensamento das Preferências Realistas

Este tipo de pensamento costuma ajudar às pessoas que desejam autocontrole. Exemplo: “eu se sentiria melhor se...“, “eu gostaria de...”, “eu preferiria que...”, “seria melhor se...”.

Para explicar melhor vou dar um exemplo de um professor. Em seu primeiro dia de aula ele passou pelos três tipo de pensamentos enlouquecedores. Primeiro os catastróficos. “E se minha aula for horrível”? “E se os alunos morrerem de tédio”? “E se fizerem uma pergunta que eu não sei responder”? “E se todo mundo for embora no meio da aula”?

Aí ele passou para a fase da autocrítica: “Eu deveria ter capacidade para dar uma excelente aula, mesmo sendo a primeira aula da minha vida. Minha mãe tinha razão, eu sou um idiota mesmo. Nunca vou ser nada na vida”. Em seguida, as racionalizações. “E daí, nem me importo. Se eles não gostarem da minha aula, significa que são burros demais para entender minha capacidade. Se eles não sabem apreciar o que tenho a oferecer, o problema deles”.

Eu considero possível aprender a usar o pensamento na forma de preferências. Vejam bem que isso não é usar pensamento positivo. Eu não quero que ninguém fique rezando mentiras bonitas para si mesmo. O que eu quero são pessoas trabalhando pela capacidade de superar as dificuldades da vida. Bem quando este professor conseguiu colocar a coisa em termos de preferências realistas, a sua visão referente às suas primeiras aulas ficaram assim: “Eu gostaria que esta turma gostasse de mim e de minhas aulas. Gostaria que respeitassem o que tenho a dizer. Se não for assim, será uma pena, mas não será horrível, a não ser que eu assim o determine”, “Gostaria de responder de forma brilhante a cada pergunta, mas, se não der, posso agüentar sem me criticar”.

O pensamento realista não garante que tudo vai dar certo, mas eu acredito que vale a pena tentar, tentar e se corrigir e aprender a cada tentativa.

psi2

Escolha aqui seu Psicólogo - Quanto custa a psicoterapia? - Informações gerais
Consulta com psicólogo - Agende aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP