Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Quando a “agitação” é um transtorno

Agitação, dificuldade para prestar atenção às instruções e impaciência são comportamentos cada vez mais característicos de nossas crianças, inseridas numa dinâmica cada vez mais “veloz”, em um mundo repleto de uma variedade de estímulos e recursos inimagináveis. No entanto, é bastante difícil distinguir essas características de um “problema” que requer cuidados. Até que ponto as crianças estão apenas sendo mais “ativas” por uma “necessidade” que se apresenta, ou essa hiperatividade é característica de um quadro clínico a ser tratado?

As crianças que sofrem de TDAH, muitas vezes, são “rotuladas” como indisciplinadas, desobedientes ou preguiçosas. O nível de estresse no âmbito familiar passa a ser alto, devido às consequências geradas pelo descumprimento das demandas esperadas. Muitas vezes, os pais e todos os que convivem com a criança sentem-se confusos com relação às atitudes a serem tomadas -  são frequentemente chamados por professores e coordenadores pedagógicos para conversar sobre os comportamentos apresentados em aula e fora da sala de aula.

São exemplos de alguns sintomas, que podem requerer atenção (lembrando que o diagnóstico só é fechado por um clínico, na presença dos sintomas por um certo período de tempo):

- A criança não consegue manter a atenção em detalhes. Na escola, por exemplo, “esquece” de anotar metade da frase ou não presta atenção ao sinal do cálculo, errando o resultado, ainda que saiba efetuá-lo, parece não escutar quando é chamado, fala demais. Os materiais são desorganizados e a perda dos mesmos ou das tarefas é frequente;

- É comum evitar atividades que exijam persistência ou esforço mental como a leitura de um livro. A distração que, muitas vezes, é confundida pelos adultos como “preguiça” é comum, quando a atenção é direcionada para outros estímulos como sons externos, por exemplo;

- A atividade corporal pode ser excessiva, sugerindo inquietação, ex: remexer-se na cadeira, permanecer de pé quando deveria estar sentado, não conseguir ficar em silêncio durante as atividades etc.

Muitas vezes, há outros transtornos associados ao TDAH, como ansiedade, impulsividade ou depressão e que requerem orientação profissional, a fim de que todas as variáveis envolvidas no processo sejam avaliadas. O tratamento deste quadro clínico deve ser multidisciplinar, normalmente feito com psicoterapia e orientação (psicoeducação) familiar, além do auxílio medicamentoso, em alguns casos. 

É importante lembrarmos que nem todo comportamento de hiperatividade ou desatenção pode ser característico de um transtorno a ser tratado dessa maneira – cabe sempre uma boa observação dos comportamentos da criança e uma orientação profissional adequada.

Fonte: Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais 5.ª edição

Paulo Sergio Estevam Ferreira

Psicólogo Clínico pós-graduado em Terapia Comportamental-cognitiva pela USP – CRP/SP: 06/93350

Pedagogo com especialização em Psicopedagogia

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

psi2

Escolha Aqui seu Psicólogo - Quanto Custa a Psicoterapia? - Informações Gerais
Consulta com Psicólogo - Agende Aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP